Minha foto
Advogado com atuação exclusiva na área de direito médico e da saúde. Especialista em Responsabilidade Civil na Área da Saúde pela FGV-SP. Pós-graduado em Direito Médico e da Saúde. Coordenador do curso de Pós-graduação em Direito Médico da Escola Paulista de Direito (EPD). Presidente da Comissão de Direito Odontológico e da Saúde da OAB-Santana/SP. Docente convidado dos cursos de Especialização em Odontologia Legal da FORP-USP (Ribeirão Preto/SP), da ABO-GO (Goiânia), da ABO-RS (Porto Alegre) e da FO-USP (São Paulo/SP). Docente convidado da FUNDECTO no curso de Perícias e Assessorias Técnicas em Odontologia. Docente convidado do curso de Bioética e Biodireito do HCor. Docente convidado de cursos de Gestão da Qualidade em Serviços de Saúde (Einstein, Inspirar e UNISA). Especialista em Seguro de Responsabilidade Civil Profissional para Médico, Cirurgião-dentista, Hospital e Laboratório. Autor da obra: "COMENTÁRIOS AO CÓDIGO DE ÉTICA MÉDICA - Resolução CFM nº 1.931/2009". Mestrando em Odontologia Legal e Deontologia pela UNICAMP (FOP).

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Conselhos elaboram documento com parecer sobre cursos de saúde na modalidade EAD

Em reunião realizada no dia 18 de novembro, o GT de Educação do Fórum de Conselhos de Atividade Fim da Saúde (FCAFS) finalizou documento posicionando-se contrário a aprovação de cursos de educação à distância, na área de saúde. O texto foi subscrito por 13 conselhos profissionais da saúde: Biologia, Biomedicina, Educação Física, Enfermagem, Fisioterapia e Terapia Ocupacional, Fonoaudiologia, Farmácia, Medicina, Medicina Veterinária, Nutrição, Odontologia, Psicologia e Serviço Social do Estado de São Paulo.

Os conselhos que integram o GT discutirão o tema em audiência pública, dia 29.11, a partir das 9 horas, no auditório Teotônio Vilela da Assembleia Legislativa de São Paulo (ALESP).

O documento que traz apontamentos de cada um dos conselhos sobre o assunto, de modo geral, destaca: “Apesar de reconhecer que modalidade EAD facilita o acesso de amplas camadas da população ao ensino superior, as profissões da saúde pressupõem atendimento direto ao paciente, colocando em risco a saúde da população se estes profissionais não tiverem esse contato desde a formação”.

Fonte: CROSP