Minha foto
Advogado com atuação exclusiva na área de direito médico e da saúde. Especialista em Responsabilidade Civil na Área da Saúde pela FGV-SP. Pós-graduado em Direito Médico e da Saúde. Coordenador do curso de Pós-graduação em Direito Médico da Escola Paulista de Direito (EPD). Presidente da Comissão de Direito Odontológico e da Saúde da OAB-Santana/SP. Docente convidado dos cursos de Especialização em Odontologia Legal da FORP-USP (Ribeirão Preto/SP), da ABO-GO (Goiânia), da ABO-RS (Porto Alegre) e da FO-USP (São Paulo/SP). Docente convidado da FUNDECTO no curso de Perícias e Assessorias Técnicas em Odontologia. Docente convidado do curso de Bioética e Biodireito do HCor. Docente convidado de cursos de Gestão da Qualidade em Serviços de Saúde (Einstein, Inspirar e UNISA). Especialista em Seguro de Responsabilidade Civil Profissional para Médico, Cirurgião-dentista, Hospital e Laboratório. Autor da obra: "COMENTÁRIOS AO CÓDIGO DE ÉTICA MÉDICA - Resolução CFM nº 1.931/2009". Mestrando em Odontologia Legal e Deontologia pela UNICAMP (FOP).

quinta-feira, 27 de abril de 2017

CFO reabilita profissionais e pede atenção a Código de Ética

O plenário do CFO decidiu reabilitar 50 profissionais que já haviam cumprido penas por infrações éticas. Durante a reunião ordinária, realizada na quinta-feira, 27 de abril, em Brasília, o colegiado também emitiu uma nota técnica para que os Conselhos Regionais de Odontologia mantenham a exigência do respeito às normas de conduta da categoria.

“O CFO continua cumprindo seu papel institucional de zelar pela ética no exercício da profissão e em defesa da sociedade,” disse o presidente do Conselho Federal de Odontologia, Juliano do Vale. O plenário ainda julgou outros 40 recursos de processos iniciados nos conselhos regionais.

As punições previstas por violações do Código de Ética são advertência confidencial, censura confidencial, censura pública, suspensão por até 30 dias do exercício da profissão e cassação do registro profissional, a mais grave. Entre os profissionais reabilitados ou que tiveram recursos julgados não houve casos de pedido de cassação de registro.

Fonte: CFO